quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Iniciada montagem do canteiro das obras do Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos

Foram iniciados os preparativos para as obras do novo Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos (CRMM), uma iniciativa da ONG Aquasis e SESC Ceará, através do Projeto Manatí que conta com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental. A Royal Construções Ltda. irá executar o projeto, assinado pelos arquitetos Geraldo Magela e Rejane Sant’ana, da Projec – Projetos e Consultoria.

O Centro ficará localizado dentro da Colônia Ecológica do SESC Iparana, em Caucaia, e terá o objetivo principal de reabilitar os filhotes de peixe-boi marinho que encalham no litoral leste do Ceará e noroeste do Rio Grande do Norte, área recordista em encalhes deste mamífero aquático, que é o mais ameaçado do Brasil. O CRMM será a segunda estrutura no país para a reabilitação da espécie, e uma referência na América do Sul.  Após a inauguração da estrutura, os animais que encalham na região poderão ser reabilitados no Ceará e devolvidos ao seu local de origem. Além disso, a nova estrutura irá aliviar o centro de reabilitação do Centro Mamíferos Aquáticos (CMA/ICMBio), em Pernambuco, que hoje recebe todos os peixes-bois marinhos que encalham no Brasil.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Boto-cinza encalha morto na Beira-mar de Fortaleza

No início desta manhã, um boto-cinza (Sotalia guianensis), encalhou morto na Beira-mar de Fortaleza. A equipe de resgate do Projeto Manatí, executado pela ONG Aquasis, se deslocou ao local assim que recebeu a chamada. O animal, uma femea jovem de 1,65m, tinha marcas de rede de pesca no corpo, o que indica que morreu capturada acidentalmente em rede de pesca. Esta é a maior ameaça a espécie no Ceará.




Esta população de botos-cinza que habita a Enseada do Mucuripe, em Fortaleza, é uma população muito pequena, com cerca de 50 animais, que sofre intensos impactos antrópicos, como a poluição química adivinda de esgoto doméstico, do porto e do estaleiro, além da poluição sonora do trafego de embarcações e obras costeiras, como a que será realizada na requalificação da beira-mar. Com tudo isso, estes animais podem desaparecer para sempre da região, se medidas de precaução não forem tomadas. A Aquasis acredita ser imprescindível o monitoramento desta população de botos antes, durante e após as obras, para mensurar os impactos e identificar formas de mitigá-los.


O resgate de mamiferos marinhos encalhados na costa cearense é uma das ações do Projeto Manatí, patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental. Assim, é possível identificar quais as espécies ocorrem na nossa costa e quais são as causas de morte destes animais.
No momento, o animal está sendo necrospiado no Centro de Reabilitação de Mamiferos Marinhos, no SESC Iparana. Serão coletadas amostras para análise e definida se a causa da morte foi asfixiamento causado pela captura em rede de pesca.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Baleia Piloto é tratada e solta por equipe do Projeto Manatí

No fim da tarde do último domingo, dia 13 de novembro, a equipe de plantão do Projeto Manatí recebeu uma ligação de moradores do litoral reportando o encalhe de uma baleia viva de aproximadamente 4m em um banco de areia dentro do Rio Pirangi, no leste do Ceará. Devido ao difícil acesso ao local, a equipe atendeu ao chamado apenas na manhã seguinte.

O animal, um macho adulto da espécie baleia piloto-de-peitorais-curtas (nome científico Globicephala macrorhynchus) foi desencalhado com ajuda de moradores da região que passaram a noite no local. Após isto, a baleia foi levada para a margem oeste do Rio Pirangi, para a comunidade de Parajuru, em Beberibe.



O médivo veterinário do Projeto Manatí, Vitor Luz, verificou que o animal estava bem magro e com odor fétido na respiração, indicando infecção pulmonar, que foi confirmada através de exames de sangue.

A baleia foi mantida em uma estrutura flutuante dentro do rio, onde foi medicada e alimentada através de uma sonda. No dia seguinte, foi observada significante melhora do quadro do animal, que mostrou-se com boa flutuabilidade e força. Assim, para minimizar o estresse do manejo, a equipe optou por soltar a baleia com a ajuda de uma embarcação.




Na manhã desta quarta-feira, a equipe do Projeto Manatí, patrocinado pela Petrobras, junto com voluntários da região, colocou a baleia em uma jangada de 6m de comprimento, que foi puxada por um barco lagosteiro motorizado até 10 milhas da costa. O animal foi solto e nadou em direção ao norte, para águas profundas, habitat das baleias pilotos. As praias da região serão monitoradas para verificar se o animal irá encalhar novamente.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Projeto Manatí realiza treinamento de voluntários para resgate de mamíferos marinhos

Na manhã da última sexta-feira, dia 04 de novembro de 2011, o Projeto Manatí realizou o treinamento de resgate e reabilitação de mamíferos marinhos com os voluntários do Programa de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Marinhos/PMM da AQUASIS.
 Os nove voluntários são estudantes universitários dos cursos de Ciências Biológicas, Medicina Veterinária e Engenharia de Pesca e estão sendo capacitados para auxiliar nos eventos de resgate e reabilitação dos animais que venham a encalhar vivos ou mortos no litoral do Ceará.

Durante o treinamento, o coordenador de resgate do Projeto Manatí – Antônio Carlos Amâncio ensinou os primeiros socorros básicos, o modo de contenção correta, além de transporte e conduta adequada com os animais encalhados. Também foram demonstrados os procedimentos de biometria, registro de encalhe e espécie, identificação de sexo, etc. Entre os dias 12 e 16 de setembro, os voluntários participaram da parte teórica da capacitação assistindo palestras de pesquisadores do PMM e de membros da equipe de resgate do Projeto Manatí. A ação representou, portanto, uma complementação ao conteúdo transmitido anteriormente e uma oportunidade prática de aprender técnicas e informações sobre a biologia e comportamento dos mamíferos marinhos.




O Projeto Manatí é executado pela AQUASIS e SESC Ceará com o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Baleia jubarte de 12 metros encalha morta em praia do Ceará

Na manhã da última sexta-feira, dia 28 de outubro, a equipe de resgate do Projeto Manatí foi informada através da equipe do Projeto Cetáceos da Costa Branca – PCCB/UERN sobre um encalhe de uma baleia no município de Icapuí, no litoral leste do Ceará. Tratava-se de um indivíduo macho da espécie jubarte (Megaptera novaeangliae) medindo cerca de 12 metros de comprimento encontrado na praia de Melancias de Baixo.



A carcaça estava em estado avançado de decomposição, porém foi possível registrar cortes de facas nas nadadeiras peitorais e diversas mordidas de tubarão ao longo do corpo da baleia. Os técnicos da equipe de resgate do Projeto Manatí, com auxílio da equipe do PCCB, realizaram a biometria e coletaram amostras biológicas (pedaços de gordura e pele) para pesquisas. Em seguida a baleia foi enterrada com a ajuda de duas escavadeiras cedidas pela Prefeitura de Icapuí, próximo ao local onde foi encontrada.


O encalhe de baleias da espécie jubarte é comum no Brasil nesta época do ano. Durante o segundo semestre, que vai de Junho a Novembro, a espécie migra para as águas quentes do nordeste do Brasil para se reproduzir. Algumas chegam doentes e mais fracas e acabam morrendo. Em setembro deste ano, um exemplar encalhou morto na praia de Caetanos II, no município de Amontada, no litoral oeste do Ceará. Recentemente a equipe do PCCB/UERN atendeu a um encalhe de uma baleia jubarte viva na praia de Upanema, no município de Areia Branca/RN. Após 3 dias de operação, a baleia de cerca de 12 metros foi  solta em alto mar. De acordo com a equipe do PCCB/UERN, a baleia não foi mais avistada e, segundo o coordenador de resgate do Projeto Manatí - Antônio Carlos Amâncio, provavelmente não poderia ser a mesma encontrada em Icapuí, devido ao tempo de decomposição (cerca de 15 dias) desta.
O atendimento a encalhes de mamíferos marinhos é um dos objetivos do Projeto Manatí, executado pela Aquasis e SESC Ceará, com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental. Através desta ação, será possível identificar as espécies que ocorrem no estado do Ceará, os principais locais de encalhe e as possíveis causas.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Pesquisadores do Projeto Manatí investigam morte de peixe-boi

No dia 23 de setembro de 2011, um pescador encontrou um peixe-boi-marinho morto próximo à costa da Praia de Ponta Grossa, situada no município de Icapuí. O pescador retirou o animal da água e entrou em contato com a Equipe de Resgate do Projeto Manatí para comunicar o encalhe. No local, biólogos confirmaram que se tratava de um jovem macho com dois metros de comprimento, com idade estimada em menos de dois anos. A carcaça foi levada para a Aquasis para realização da necropsia e investigação da causa da morte.


               O peixe-boi estava em um bom estado corporal e não apresentava marcas de emalhe em rede de pesca ou sinais de colisão com embarcação. No exame interno foi diagnosticada uma peritonite, infarto do miocárdio e edema pulmonar hemorrágico. Exames complementares foram realizados e indicaram que a causa mortis foi insuficiência cárdio-respiratória, provavelmente de origem infecciosa.


              
O encalhe de peixes-bois juvenis e adultos é pouco comum no Ceará, sendo mais comumente registrados os encalhes de neonatos vivos. Grande parte desses animais encontrados mortos tiveram o óbito relacionado à atividades humanas, como captura em redes de arrasto de camarão e colisão com embarcação.  A mortalidade por causas naturais de jovens e adultos é pouco registrada, principalmente pela alta longevidade da espécie e sua notável resistência à doenças. Dessa forma, a perda precoce desse indivíduo é bastante representativa para a população, que já tem seu tamanho reduzido e se encontra bastante ameaçada.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Filhote de peixe-boi é transportado para o Centro Mamíferos Aquáticos, em Itamaracá/PE

Na madrugada do dia 18 de outubro, terça-feira, o filhote de peixe-boi “Branca” que encalhou em Areias Alvas, no Rio Grande do Norte, deixou o Centro de Reabilitação do Projeto Manatí e seguiu de avião para Recife/PE. Durante o vôo, Branca se mostrou um pouco agitada, porém seguiu tranquilamente em boa parte da viagem. Durante o trajeto, foi monitorada sua temperatura e freqüência respiratória e aplicado óleo mineral sobre a pele para mantê-la úmida.  A aterrissagem ocorreu por volta das 6h40 e às 8h30 Branca chegou ao Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS) do CMA/ICMBio na Ilha de Itamaracá/PE.

Branca passou por alguns exames e em seguida foi colocada em uma das piscinas de quarentena do CRAS/CMA/ICMBio. O filhote será amamentado por pelo menos 2 anos, tempo que os filhotes recebem os cuidados maternos em vida livre. Depois disso, o leite será trocado gradualmente pela alimentação natural (capim-agulha e algas) para que o animal futuramente seja reintroduzido ao ambiente natural.


A partir do segundo semestre de 2012, os filhotes de peixe-boi que encalharem no litoral do Ceará e Rio Grande do Norte serão reabilitados no novo CRMM/AQUASIS/SESC, financiado pela Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental, e soltos nos seus locais de origem.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Projeto Manatí capacita jovens de Iparana para atendimento a encalhes de mamiferos marinhos

Na manhã da terça-feira, 11 de outubro, o Projeto Manatí realizou mais uma oficina de primeiros socorros de mamíferos marinhos, desta vez na comunidade de Iparana, município de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza. O foco foram os 14 adolescentes que participam do Projeto Brigada da Natureza, principal projeto do Programa de Educação Ambiental da AQUASIS. Todas as terças, quartas, quintas e sextas-feiras pela manhã, os brigadistas realizam atividades sócio-ambientais, esportivas e musicais dentro das dependências do SESC Iparana e da AQUASIS. A oficina abordou a biologia dos mamíferos marinhos, hábitos alimentares, causas de encalhes e primeiros socorros aos animais encalhados vivos ou mortos. Contemplou uma esquete teatral na qual os adolescentes simularam um encalhe de filhote de peixe-boi e as providências corretas a serem tomadas.







Para a AQUASIS, a ação representou um intercâmbio valioso de conhecimentos entre Projetos (Manatí e Brigada da Natureza) e, num âmbito maior, entre Programas (Mamíferos Marinhos e Educação Ambiental). Também serviu para reforçar a divulgação das atividades do Projeto Manatí para as comunidades do entorno : Parque Leblon, Guaié, Iparana e Pacheco, onde moram os adolescentes e onde está localizada a sede da AQUASIS, e futuramente o novo Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos (Iparana).

Durante a Campanha de Educação Ambiental do Projeto Manatí no litoral leste do Ceará, a oficina de primeiros socorros a mamíferos marinhos foi ministrada nas comunidades de Redonda, em Icapuí e São Chico, Quixaba e Majorlândia em Aracati. A última etapa da Campanha está sendo realizada em Cajueiro da Praia/PI. O Projeto Manatí é executado pela Aquasis e SESC Ceará, com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Projeto Manatí realizará regata de mini-jangas do peixe-boi em Quixaba, Aracati


A Aquasis e o SESC Ceará realizarão nos dias 01 e 02 de outubro, a REGATA DO PEIXE-BOI MARINHO. O evento faz parte da campanha de educação ambiental do Projeto Manatí, no município de Aracati. O objetivo da campanha é sensibilizar os moradores da região para a conservação do peixe-boi marinho e dos ecossistemas e recursos costeiros dos quais os povos do mar dependem.


O Projeto Manatí tem patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental, e o evento conta com o apoio do Banco do Nordeste, Prefeitura Municipal de Aracati, Radio canoa FM, Recicriança,CECIM, Academia 40º (Neto), Pousada e Barraca Velho Marujo (Cida), Barraca Nascer do Sol (Fátima), Tocumó Bar (Comzeta), Mana Moda Praia e Barraca de Praia do Símbolo de Canoa Quebrada (Casqueiro).

O evento terá várias ações educativas, como oficinas, jogos ecológicos, cortejo cultural de tambores do Bumba Peixe-boi, teatro, contação de histórias, desfile cultural local, artesanato, limpeza de praia, apresentações de tradições populares como a caninha verde e o coco de praia, capoeira e a primeira REGATA DO PEIXE-BOI MARINHO do município, aonde teremos categorias mini-botes, minijangadas e paquetes com 70 participantes inscritos.

Junto na organização do evento com a AQUASIS estão os moradores de Quixaba: Dna Maria, Sr Elsio, Dedé, Joca, Diego, Rita, Gabriel e Bruno (Grupo de Boi e Reisado Filhos de Quixaba).

As comunidades envolvidas são Quixaba, Estevão, Majorlândia e São Chico. Estima-se mais de 500 pessoas envolvidas por dia no evento. No sábado, 17 crianças e adolescentes do Projeto da Brigada da Natureza, embarcam para Quixaba aonde irão participar com seus tambores e músicas com temas ecológicas da programação da Regata, será uma promoção e intercâmbio de adolescentes das duas comunidades, em torno de um objetivo comum a proteção e a conservação da natureza.

Preservar o peixe-boi, ampliar a sensibilidade das comunidades e da importância de seus recursos naturais são as grandes metas do evento que traz um esforço de uma ação articulada com a Secretaria de Educação de Aracati e instituições como o SESC, Recicriança e as lideranças comunitárias de Quixaba, Estevão, São Chico e Majorlândia. Na quinta-feira, pela manhã, duas equipes de educadores uma da AQUASIS com cinco pessoas e outra de cinco pessoas da sala de Ciências do SESC estarão indo para este grande evento - que envolve cidadania, cultura e ciência - encontrar-se, em
Aracati com outra equipe de 10 educadores do SESC LER ARACATI e os professores das quatro escolas envolvidas no projeto. Todos estarão mobilizados para a conservação e proteção do Peixe-boi marinho.



Uma das conquistas da execução do Projeto Manatí, em conjunto com a Câmara Municipal de Aracati, foi a criação da lei municipal de Aracati do “Dia Municipal do Peixe-boi Marinho”; dia 04 de outubro, que será pela primeira vez comemorado.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Centro de Reabilitação de Mamiferos Marinhos recebe mais um filhote de peixe-boi

Com apenas 1,17m de comprimento, 25 kg e menos de 15 dias de nascida, “Branca” foi resgatada no dia 19 de setembro na praia de Areias Alvas, município de Grossos, no Rio Grande do Norte. O nome “Branca” é uma homenagem a uma moradora da região de Areias Alvas que resgatou o filhote e prestou os primeiros socorros até a chegada da equipe do Projeto Cetáceos da Costa Branca/ UERN.
“Branca” é o terceiro filhote de peixe-boi encalhado este ano na região entre o leste do Ceará e o oeste do Rio Grande do Norte, e o segundo resgatado vivo. O primeiro encalhe foi de um filhote morto na praia de Manibu, município de Icapuí/CE em Fevereiro. O segundo foi de um filhote vivo na praia do Rosado, município de Porto do Mangue/RN em Março.


A equipe do PCCB/UERN permaneceu até a tarde do dia 21 de setembro monitorando a região à procura da fêmea para tentar a reaproximação da mãe e do filhote. No entanto, por não ter sido encontrada, o filhote foi trazido na manhã do dia 22, quinta-feira, para o Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos (CRMM) da AQUASIS e SESC/CE, onde deve permanecer por um período mínimo de 15 dias para então ser transportado via avião para o Centro Mamíferos Aquáticos – CMA/ICMBio em Itamaracá/PE. Atualmente a reabilitação dos filhotes de peixe-boi resgatados no CE e RN é feita no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres do CMA.


A partir do segundo semestre de 2012, todos os filhotes de peixe-boi resgatados com vida no litoral do CE e oeste Potiguar serão reabilitados no novo Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos, que é um dos objetivos do Projeto Manatí, patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental.

Projeto Manatí realiza cursos de capacitação no litoral leste do Ceará

Entre os dias 12 e 15 de Setembro de 2011, o Projeto Manatí realizou a terceira etapa da campanha de capacitação de colaboradores para resgate de mamíferos marinhos. Os municípios abrangidos foram Icapuí, Aracati e Beberibe, no litoral leste do estado. O objetivo da capacitação foi ensinar aos moradores os procedimentos básicos de primeiros socorros a mamíferos marinhos que encalham vivos e as precauções e condutas com animais mortos. A parte teórica abordou a biologia dos mamíferos marinhos, causas de encalhe e como proceder nestas situações. Em seguida, a parte prática simulou o resgate de um golfinho ou filhote de peixe-boi encalhado.
O primeiro curso foi realizado no dia 12 de setembro na sede da Estação Ambiental Mangue Pequeno, gerenciada pela ONG Fundação Brasil Cidadão, em Requenguela. O curso contou com a presença de 23 participantes das comunidades de Requenguela e Barreiras de Cima, município de Icapuí.

 No dia 13 pela manhã, a segunda capacitação foi dada para 16 jovens e adultos das comunidades de Quitérias e Tremembé, também em Icapuí. No mesmo dia à tarde, o terceiro curso foi realizado na sede da ONG Recicriança, localizada na Vila do Estevão, ao lado de Canoa Quebrada no município de Aracati. A ONG é uma antiga parceira da AQUASIS e já ajudou a resgatar golfinhos e filhotes de peixes-boi que encalharam na região. Entre os 19 participantes estavam professores, monitores da ONG, além de pescadores e moradores.




O quarto curso foi feito na sede da Associação dos Bugueiros de Morro Branco, município de Beberibe. A capacitação contou com a presença de 26 participantes entre pescadores e bugueiros. No dia seguinte, ainda em Beberibe, foi realizado o curso na Prainha do Canto Verde. Vinte e cinco pessoas, entre elas pescadores, lideranças comunitárias, moradores e analistas ambientais da Reserva Extrativista - Resex Prainha do Canto Verde estiveram presentes.



No total foram capacitadas 109 pessoas durante os cursos no litoral leste. O grande número de colaboradores capacitados neste trecho litorâneo é de extrema importância por ser uma área crítica de encalhes, principalmente de filhotes de peixes-boi. A próxima etapa da campanha será executada no litoral oeste, abrangendo os municípios de Amontada, Itapipoca, Trairi, Paraipaba e Paracuru.
As capacitações fazem parte da campanha de formação de multiplicadores do Projeto Manatí, executado pela Aquasis e SESC Ceará com o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Projeto Manatí lança cartilha para atendimento a encalhes de mamiferos marinhos

O Projeto Manatí lançou em agosto a Cartilha "Resgate de Mamíferos Marinhos", para ser utilizada na capacitação de parceiros no litoral do Ceará. O download do material em .pdf pode ser feito no site do Projeto Manatí:

http://www.projetomanati.org.br/aquasis/sites/default/files/arquivos/Cartilha_resgate.pdf


Os cursos de capacitação foram iniciados em maio, na zona Metropolitana de Fortaleza, onde mais de 120 pessoas foram treinadas. As aulas também foram ministradas no litoral extremo oeste, de Barroquinha a Itarema.

Nesta semana, uma equipe está no litoral leste do estado, realizando os cursos de Aquiraz a Icapuí. Ainda serão realizados treinamentos no oeste, de Itarema a São Gonçalo do Amarante.

Os parceiros capacitados irão auxiliar o Projeto Manatí, que é patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental, no atendimento a encalhes de mamiferos marinhos. Desta forma, espera-se alcançar um maior sucesso no resgate de animais vivos, além de recuperar carcaças mais rapidamente, e em estados melhores de conservação, possibilitanto exames mais detalhados.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Encalha a primeira baleia-jubarte da temporada de 2011 no Ceará

               Na última sexta-feira, 09 de setembro de 2011, a equipe do Projeto Manatí foi informada sobre o encalhe de uma baleia na Praia de Caetanos II, localizada no município de Amontada. Um colaborador do projeto que encontrou a carcaça relatou que a baleia estava bastante decomposta e diversas partes do seu corpo estavam espalhadas pela praia.
               A equipe articulou contatos com a prefeitura municipal de Amontada para realizar o enterro, visto que a presença de uma carcaça de baleia na praia é um risco para a saúde pública. No dia seguinte os técnicos do Projeto Manatí foram ao local para realizar o registro, coletar amostras, acompanhar e orientar o enterro.
               Apesar do estágio de decomposição avançado e ausência de diversas partes do corpo, incluindo a cabeça, foi possível identificar que se tratava de uma baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) pelo tamanho e formato das nadadeiras peitorais, características da espécie. O tamanho e sexo não puderam ser determinados, assim como a causa do encalhe.



               Os encalhes de baleias-jubarte são mais comuns no segundo semestre, pois nessa época elas migram de aguas frias da Antártida, onde se alimentam, para águas quentes do nordeste do Brasil, onde se reproduzem e tem seus filhotes. Alguns animais chegam mais fracos e doentes e acabam encalhando.  
               No Ceará, os encalhes de jubartes são pouco comuns, sendo este o primeiro registro da temporada de 2011 e o décimo para todo o estado desde 1992. Apesar dos poucos estudos no estado, a presença da espécie nos mares cearenses tem sido relatada com mais frequência por pescadores e funcionários de plataformas de exploração de petróleo. Acredita-se que o crescimento populacional recente pode estar levando os animais a ocuparem suas antigas áreas de distribuição.
              O atendimento a encalhes de mamiferos marinhos é um dos objetivos do Projeto Manatí, executado pela Aquasis e SESC Ceará, com patrocinio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental. Através desta ação, será possível identificar as espécies que ocorrem no estado e os principais locais de encalhe.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Projeto Manatí inicia Campanha de Educação Ambiental no Piauí

No início do mês de agosto a equipe do Projeto Manatí em parceria com o Centro Mamíferos Aquáticos - CMA/ICMBio, APA Delta do Parnaíba e Comissão Ilha Ativa – CIA, iniciaram a Campanha de Educação Ambiental no município de Cajueiro da Praia – PI.

Esta primeira viagem teve o objetivo de apresentar o projeto à comunidade, estabelecer parcerias no município e realizar um diagnóstico das escolas de Cajueiro da Praia e Barra Grande.
A equipe do projeto também esteve no SESC Praia, na praia de Luis Correia, e nas Secretarias de educação, cultura, esporte, meio ambiente e turismo para apresentar o projeto Manatí e estabelecer parcerias com a Prefeitura.


As escolas visitadas foram: Manoel Ricardo, Joaquim Brito, Oscar Lima e José Adrião.
Em outubro será realizada a próxima etapa da Campanha no município, que irá contar com oficinas com os professores das escolas, distribuição de cartilhas educativas; oficinas culturais com percussão e capoeira e oficinas de reaproveitamento do óleo de cozinha para confecção de sabão ecológico.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Projeto Manatí realiza palestra e oficina de reaproveitamento de óleo durante o I Encontro SESC Povos do Mar

Realizado entre os dias 18 e 21 de Agosto no SESC Iparana, o I Encontro SESC Povos do Mar reuniu mais de 500 participantes representando as 44 comunidades litorâneas do Ceará. Danças regionais, exposições de artesanato, oficinas e rodas de conversa permearam os 4 dias de evento.
Na manhã do dia 20, as técnicas do Projeto Manatí, Juliana Umezaki e Katherine Choi, ministraram a oficina de reaproveitamento de óleo para confecção de sabão. A atividade contou com a presença de 13 participantes que foram instruídos sobre a problemática do descarte incorreto do óleo de cozinha usado no meio ambiente. A mesma oficina foi desenvolvida pela equipe da Campanha de Educação Ambiental do Projeto Manatí nos municípios de Aracati e Icapuí, no Ceará. O próximo destino da Campanha será Cajueiro da Praia, no Piauí.


No período da tarde, ocorreu a roda de conversa: “Projetos e Estratégias para a Conservação Ambiental” liderada pela presidente da AQUASIS, Cristine Negrão, e pela coordenadora do Programa de Áreas Protegidas da AQUASIS, Thaís Moura Campos.


Foram apresentadas as atividades de resgate e reabilitação de mamíferos marinhos, monitoramentos de praia, campanhas de informação e educação ambiental desenvolvidas no Projeto Manatí e as ações relacionadas à criação da Área Marinha Protegida no litoral leste do Ceará. A roda de conversa foi composta por mais de 100 participantes que discutiram a importância de ambos os projetos para a conservação do ambiente marinho e manifestaram o apoio às iniciativas de proteção ambiental.
O Projeto Manatí é executado pela Aquasis e SESC Ceará, como o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental. O principal objetivo do projeto é a conservação do peixe-boi marinho, o mamifero aquatico mais ameaçado de extinção do Brasil, e ações de informação e conscientização ambiental são essenciais para proteger a espécie.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Projeto Manatí inicia capacitações nas comunidades costeiras

A Campanha de capacitação de colaboradores para o atendimento a encalhes de mamíferos marinhos começou a ser realizada nas comunidades costeiras do estado do Ceará. Após a realização dos cursos para parceiros institucionais em Fortaleza e região metropolitana, a campanha avançou para o litoral oeste, onde foram ministradas aulas nos municípios de Camocim, Jijoca de Jericoacoara e Itarema entre os dias 09 e 13 de agosto.
               Os cursos tiveram como objetivo principal informar os colaboradores sobre as medidas de primeiros socorros que podem ser tomadas em casos de encalhes de animais vivos e sobre como proceder em casos de animais mortos. Inicialmente foram realizadas aulas teóricas sobre a biologia desses animais, causas de encalhe, como proceder ao encontrar um animal na praia e a importância da atividade para a conservação. Em seguida foram realizadas aulas práticas sobre medidas de primeiros socorros utilizando uma réplica de um golfinho.
               
               O Coordenador de Resgates, Antônio C. Amâncio, e o estagiário José Pitombeira ministraram os cursos paralelamente ao monitoramento de praias realizado entre Barroquinha e Itarema. Representantes de comunidades dos seis municípios compreendidos nesse trecho estiveram presentes e receberam kits do Projeto Manatí contendo camiseta, boné, caderno e cartilha ilustrada de resgate de mamíferos marinhos, além de certificado de participação.
               A primeira capacitação foi realizada no dia 09 de agosto na Colônia de Pescadores de Camocim. Participaram 10 pessoas de comunidades costeiras do município e também de Barroquinha. Após a apresentação, durante o monitoramento de praias, a equipe encontrou uma carcaça de boto-cinza na Praia do Maceió, situada em Camocim.
               O segundo curso foi realizado no dia 11 de agosto em Jijoca de Jericoacoara, na Escola Nossa Senhora da Conceição, onde nove participantes do município e também da cidade de Cruz foram capacitados.

               A terceira apresentação ocorreu no dia 13 de agosto na sede do Projeto Tamar em Almofala, município de Itarema. Além de técnicos do Projeto e moradores do município, participantes de comunidades de Acaraú também estiveram presentes, totalizando sete pessoas capacitadas.



               No total foram capacitados 26 colaboradores de todos os municípios do litoral extremo oeste do Ceará. A próxima etapa da campanha será executada no litoral leste do estado, entre os municípios de Aquiraz e Icapuí, em meados de setembro.
            
              As capacitações fazem parte da campanha de formação de multiplicadores do Projeto Manatí, executado pela Aquasis e SESC Ceará com o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental. No total já foram capacitados 153 colaboradores, mas a campanha continua até outubro.






sexta-feira, 22 de julho de 2011

Peixe-boi marinho torna-se Patrimônio Natural de Aracati

O peixe-boi marinho, mamífero aquático mais ameaçado do Brasil, foi declarado patrimônio natural do município de Aracati, que instituiu o Dia do peixe-boi no dia 04 de outubro, mesma data em que se comemora o dia de São Francisco de Assis e dia internacional dos animais.

Esta foi mais uma conquista do Projeto Manatí, que desde fevereiro do presente, quando iniciou a Campanha de Educação Ambiental em Aracati, iniciou a articulação com a Câmara dos Vereadores do município para a criação desta lei. O vereador Ricardo Sales encabeçou a proposta, que após aprovada pela Câmara dos Vereadores de Aracati foi aprovada pela  Prefeitura.
O Projeto de Lei 394/2011 da Prefeitura Municipal de Aracati “DECLARA PATRIMÔNIO NATURAL DO MUNICÍPIO DE ARACATI OS PEIXES-BOIS MARINHOS, INSTITUI O DIA MUNICIPAL DO PEIXE-BOI MARINHO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS”.
Através desta Lei, o Poder Público do Município e toda a sua coletividade irão promover:
I – a proteção do peixe-boi marinho e seus habitats (estuários, rios e a zona costeira), evitando ou coibindo atividades que possam causar danos aos mesmos;
II – a divulgação, em publicações promocionais de turismo, do “status” de Patrimônio Natural, conferido a estes animais;
III – a articulação com entidades científicas e preservacionistas, visando o estudo e conservação do peixe-boi marinho, e a conscientização popular para a sua preservação;
                     No “Dia Municipal do Peixe-boi Marinho”, os órgãos públicos municipais realizarão eventos culturais, esportivos, ambientais e turísticos destinados a promover a conservação do Peixe-boi marinho e seu habitat, destacando a sua importância e ícone da conservação da natureza do município.

Texto: Katherine Fiedler Choi, Bióloga

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Projeto Manatí abre seleção para voluntários

A Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos – Aquasis, organização sem fins lucrativos sediada em Caucaia, Ceará, com atuação há 17 anos na conservação da biodiversidade, comunica a abertura de vagas para voluntários do Projeto Manatí - Programa de Mamíferos Marinhos, para o período de agosto de 2011 a julho de 2012. O Projeto Manatí é executado em parceria com o SESC Ceará e tem patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental. Seu principal objetivo é a conservação do peixe-boi marinho e cetaceos que ocorrem no Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte.

Objetivos
§  Estimular o conhecimento básico sobre biologia, medicina e estratégias de conservação de mamíferos marinhos que ocorrem no litoral do Ceará;
§  Participação e apoio nas viagens de campo referentes a monitoramento de praias;
§  Auxílio nas atividades de resgate, reabilitação e necropsia de mamíferos marinhos efetuadas pela Aquasis dentro de sua área de atuação (litoral do Ceará e oeste do Rio Grande do Norte).

Requisitos
§   Matrícula e freqüência regular em curso superior de Ciências Biológicas, Engenharia de Pesca, Medicina Veterinária e áreas afins, no caso de estudantes;
§   Disponibilidade para viagens de campo (5 dias/mês);
§   Pró-atividade, habilidade em trabalho em equipe e criatividade.

Inscrição
Os interessados deverão enviar a seguinte documentação (A/C Katherine Choi): currículo, carta de intenção e confirmação de disponibilidade da carga horária requisitada e carta de recomendação de dois profissionais da área ou professores. A documentação deve ser enviada até o dia 25 de julho de 2011, data de postagem. A documentação poderá ser encaminhada para voluntarios.aquasis@gmail.com (assunto: VOLUNTÁRIO PMM) ou para o endereço: Aquasis – Programa Mamíferos Marinhos / VOLUNTARIADO. SESC Iparana, Av. José de Alencar, 150. Caucaia, Ceará. CEP: 61627-010.

Seleção
§   A seleção será realizada em duas etapas: análise da documentação enviada e entrevista presencial. Os pré-selecionados na primeira etapa serão contatados até o dia 12 de agosto de 2011 para marcar a entrevista.
§   O resultado da seleção será divulgado através de e-mail para todos os candidatos, até o dia 17 de agosto de 2011.
§   O candidato selecionado será contatado pela Coordenação de Estágio do PMM para maiores informações.

Outras disposições
§   O candidato selecionado deverá assinar um Termo de Adesão ao trabalho voluntário, de acordo com a Lei n° 9.608, de 18 de fevereiro de 1998.
§   O voluntário terá direito a refeições no restaurante do SESC Iparana durante os dias em que estiver presente na sede da Aquasis, assim como refeições e hospedagem em viagens de campo.
§   O trabalho voluntário é não-remunerado, e o deslocamento do voluntário até a sede da Aquasis é por conta do mesmo.
§   As viagens de campo referem-se a monitoramento de praias mensais no litoral do Ceará, para registro de encalhe de mamíferos marinhos.
§   A participação em procedimentos de resgate, reabilitação, soltura e necropsia de mamíferos marinhos será realizada sob demanda, de acordo com os encalhes que venham a ocorrer no período. Em eventos de encalhes, a equipe muitas vezes está sujeita a permanência em regimes de trabalho prolongado e em condições desgastantes, devendo o voluntário apresentar boa capacidade de relacionamento e de trabalho.

Poderão participar da seleção:
·        Estudantes de graduação e pós-graduação;
·        Profissionais das áreas: Ciências Biológicas, Engenharia de Pesca, Medicina Veterinária e áreas afins.


*Informações adicionais podem ser obtidas no telefone (85) 3318-4911 ou através do e-mail voluntarios.aquasis@gmail.com

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Morre golfinho-cabeça-de-melão resgatado vivo no último sábado

O golfinho-cabeça-de-melão (Peponocephala electra) resgatado pela equipe do Projeto Manatí no início da tarde do dia 09 de julho não resistiu por muito tempo e morreu durante a noite do mesmo dia. Segundo o relato dos moradores da praia da Emboaca, no Trairi, que auxiliaram no resgate, o encalhe havia ocorrido na manhã do dia anterior. Após realizarem sucessivas tentativas sem sucesso de devolvê-lo ao mar, entraram em contato com a equipe do projeto. Apesar dos esforços dos técnicos e do tratamento que o animal recebeu, não foi possível reverter o grave quadro de saúde.
               Tratava-se de uma fêmea jovem, de 2,28m de comprimento e peso de 100kg.  O golfinho estava apático, aparentemente inconsciente, sem reflexos e com capacidade de natação e flutuação muito reduzidas. Apresentava também um discreto emagrecimento, desidratação, sintomas de pneumonia, gastrite e infecção intestinal, além de um ferimento profundo na região do esterno provocado por tubarão-charuto.


              

O golfinho foi mantido apoiado por um técnico na água durante todo o atendimento, enquanto recebeu intensivo tratamento de suporte, foi hidratado e foram feitos curativos nos ferimentos. O animal apresentou sintomas de choque por estresse e convulsões durante a tarde, que foram revertidos com uso de medicamentos, porém outro episódio ocorreu durante a noite e ele não resistiu.
              



A carcaça foi levada para o Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos da Aquasis para realização da necropsia e investigação da causa da morte. No exame foram constatadas lesões severas em diversos órgãos, o que levou à suspeita de infecção generalizada, além de provável tumor nos linfonodos e uma intensa infecção por parasitos nos seios cranianos, o que provocou grande desorientação, dificuldade para se alimentar e se comunicar com outros indivíduos de sua espécie. Debilitado e sem conseguir acompanhar o grupo, o animal acabou encalhando.
               Golfinhos encalhados vivos geralmente encontram-se em estado de saúde grave. Mesmo com baixas taxas de sucesso na recuperação, situação comum a diversas instituições que atendem esses animais em todo o mundo, é importante que seja feita uma intervenção rápida para aumentar as chances de sobrevivência e proporcionar um maior bem-estar. Em cada encalhe as equipes adquirem um maior conhecimento sobre o manejo e as doenças que afetam esses animais, melhorando o diagnóstico e formas de tratamento.
               A Equipe do Projeto Manatí, que é executado pela Aquasis e SESC Ceará, com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental, alerta para que sempre que forem encontrados mamíferos marinhos encalhados vivos, seja realizado um contato imediato solicitando o resgate através dos telefones de contato. Mesmo com boa intenção, nunca tente devolver um animal para o mar sem uma avaliação técnica, pois você poderá comprometer ainda mais seu estado de saúde.

TELEFONE DE RESGATE DO PROJETO MANATÍ: (85) 3318-4911 e (85) 9675-0665 

sábado, 9 de julho de 2011

Golfinho-cabeça-de-melão encalha vivo em praia do Ceará

Na manhã de hoje a equipe de resgate do Projeto Manatí recebeu uma chamada para atender um encalhe de um golfinho-cabeça-de-melão que encalhou vivo na praia da Emboaca, no município de Trairí, oeste do Ceará.

Moradores do local com o auxílio de policiais da BPTUR, que receberam treinamento do Projeto Manatí no mês passado para o atendimento a encalhes de mamiferos marinhos vivos, resgataram o animal e permaneceram com ele na agua até a chegada da equipe.

De acordo com médico veterinário Vitor Carvalho, a situação é crítica, pois apesar do animal apresentar um bom estado corporal, está sem reflexo e não se movimenta na água. A equipe resolveu levar o golfinho para uma pequena lagoa localizada na comunidade, onde o manejo é facilitado pela ausência de ondas e a profundidade de aproximadamente 1 m.

O animal foi medicado e será hidratado, e na segunda-feira será providenciado um exame de sangue para verificar se há alguma infecção. Até lá a equipe permanecerá no local monitorando o golfinho 24h por dia.

O Projeto Manatí é executado pela ONG cearense Aquasis em parceria com o SESC Ceará, e conta com o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Em Campanha de Educação Ambiental, Projeto Manatí realiza oficinas de reaproveitamento de óleo e atendimento a encalhes

De 13 a 17 de junho, a equipe da Campanha de Educãção Ambiental do Projeto Manatí esteve no município de Aracati, no leste do Ceará. A equipe formada pelos biólogos Juaci Araújo, Katherine Choi e Juliana Umezaki realizaram diversas atividades com adultos e crianças em comunidades costeira do município.

Para os adultos, o destaque foi a oficina de reaproveitamento de óleo de cozinha para a fabricação de sabão. As aulas foram realizadas em Quixaba e Estevão, e contou com um total de 40 participantes. Durante a oficina, os moradores aprenderam o mal que o óleo de cozinha descartado incorretamente pode trazer ao meio ambiente. A maioria afirmou que não tinha conhecimento disto, e que descartava o óleo usado no lixo, na pia, ou no solo mesmo. Este óleo pode contaminar cursos d'água e lençóis freáticos. Dessa forma, pode impactar a vida do peixe-boi marinho na região, uma vez que estes bebem água doce em olheiros localizados no mar, cuja água vem do lençol freático.


Para crianças e adolescentes das Escolas Antonieta Cals, em Majorlândia; São Francisco, em São Chico; e Heriberto Porto, em Quixaba, a Oficina de primeiros socorros de mamíferos marinhos fez muito sucesso e contou no total com a participação de 68 alunos. Durante as aulas foram repassados conhecimentos básicos sobre a anatomia desses animais e o que as pessoas podem fazer quando encontram um golfinho ou peixe-boi encalhados vivos na praia.



Esta foi a penúltima viagem da campanha para o municipio de Aracati. Na próxima será realizada a Regata de mini-jangadas do peixe-boi, ainda sem data definida.

O municipio de Cajueiro da Praia, no Piauí, será o próximo destino da campanha. Nesta localidade que fica na divida do PI com o CE, os peixes-boi vivem em um saudável e belo estuário formado pelos rios Timonha e Ubatuba, onde praticamente não há encalhes da espécie. A equipe do Projeto Manatí irá ajudar a comunidade e parceiros locais a manterem o ambiente preservado para manter a qualidade de vida do peixe-boi e dos moradores de Cajueiro.

O Projeto Manatí é executado pela Aquasis e SESC Ceará, com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental.